Funções de programação de computador: conheça o que são

Quando se trata de vocabulário de programação de computadores, existem tantas terminologias que as pessoas que não têm conhecimento suficiente tendem a ficar perdidas e confusas. Um termo pode ser traduzido em tantos nomes diferentes em diferentes idiomas. Por exemplo, as seguintes palavras são bastante semelhantes: Funções, Programas, Sub-rotinas, Procedimentos, Subprogramas ou Subconsultas. A única questão agora é qual desses termos poderia permanecer por conta própria.

Teoricamente falando, a programação de computadores evita a duplicação de qualquer código em múltiplos espaços. Por exemplo, uma instituição que utiliza os programas pode ter algumas bibliotecas de diferentes milhares ou até mais programas com bilhões de linhas de código básicas. Com um caso tão complexo, a duplicação ainda poderia ser evitada. Digamos que uma mensagem de erro ocorre porque a coleção agora precisa ter um 'membro' adicional.

Um bom exemplo é a adição de outra moeda global chamada Euro. Se cada programa for instruído a se atualizar por causa dessa nova adição, isso poderá ser complexo. Mas com subprogramas ou funções especificamente projetados para lidar com diversas situações, a única função que cuidaria da mudança seria aquela designada para lidar com tal cenário.

Da mesma forma que escrevemos novos programas, muitos dos componentes de que ele precisará já existem (por exemplo, acessar um determinado arquivo para desenterrar determinados dados, computar inventários disponíveis). Em casos como esse, uma boa alternativa para escrever diferentes linhas de código-fonte para trabalhar na nova função (e eventualmente replicar o código em vários outros programas), o subprograma é acessado para trabalhar na função especificada.

Em algumas linguagens de programação, existem certos parâmetros que estão sendo passados ​​de um nome de programa específico para o programa que está sendo chamado para realizar uma tarefa. Um programa secundário geralmente faz com que os valores sejam alterados e então o controle é trazido de volta ao programa principal. Essas ações podem ser níveis mais profundos. Os vários programas que estão sendo usados ​​para chamar uns aos outros são escritos em muitas linguagens variadas. As razões por trás disso são: ter uma parte de função controlável razoável e ter várias linguagens significa ser mais capaz de se adequar a diferentes tipos de função.

Para definir melhor os usos das funções de programação, uma função pode aparecer em dois locais diferentes ou até mesmo em um único local. Isso depende se é uma função de várias linhas ou de uma única linha. Uma função de linha única é aquela que devolve um valor após realizar tarefas (tudo isso em uma única linha). A função de várias linhas, no entanto, é estendida em muitas linhas diferentes.

Uma função de linha única pode ser exibida em um bloco de código porque ela só responde quando chamada por um determinado nome. A função multi-linha faz o contrário. Se for uma função de várias linhas que está sendo definida em um bloco de código, as instruções que seguem a definição são feitas de maneira não sequencial.

Em sua simplicidade, as funções são blocos de código que podem ser reutilizáveis. Esses blocos de código geralmente retornam valores únicos (às vezes não). Exemplos comuns desses blocos de código são funções matemáticas (por exemplo, tan ou log), funções de data (figuras entre duas datas) ou funções de string (procurando incidentes de 1 string localizada dentro de outra string). As funções também são mantidas separadamente do código do programa primário. Muitas linguagens de programação possuem funções específicas que são delegadas como pontos de entrada para um determinado programa.

Saber quais são as funções da programação de computadores pode levar algum tempo para pessoas que não têm experiência com computadores. Mas o básico está tudo aqui. Olhando para as muitas coisas complexas que as funções fazem, você começa a apreciar as coisas que o computador faz por você todos os dias, não é?